sexta-feira, 6 de novembro de 2009

~ she said wanted to fly ~



Era pequena e indefesa. Sua voz, de longe quase não se ouvia. Frágil, desastrada... Porém linda. Com uma beleza estonteante, uma voz doce e incomparável. Seus movimentos delicados, como os de uma borboleta. E na medida em que crescia, parecia ainda mais com uma boneca de porcelana. Isso tudo fazia dos cuidados uma regra principal, não a levavam tão a sério, por conta dos desejos que tinham, achavam-na imatura, incapaz de conseguir feitos grandiosos. Mas ela sabia que podia, sabia que conseguiria conquistar o que quisesse, pois era frágil fisicamente e dotada de uma grande estabilidade em seu interior. Sabia que tinha um chamado a ser cumprido. Mas a sufocavam e isso a fazia cada vez mais triste. E o que pesava, é que era incapaz de discutir sobre o modo como a tratavam, sobre suas verdadeiras vontades, sobre o que lhe machucava ou fazia bem. Ela gostava de correr, de se arriscar, de gritar... mas sempre tinha alguém a repreendendo, dizendo para voltar, para ir devagar, para não se apegar demais aos sonhos. E isso fragilizava a grandiosidade de seu coração. Era meiga, amável, delicada e terna.

                                                                    (...)

Seus olhos já não brilhavam, sua voz emudeceu, as palavras ficaram soltas, os cuidados impediram a linda borboleta de voar. Apagando sua força, seus sonhos, sua vida.

5 comentários:

  1. No.. era essa menininha da foto aí. ^^
    Eu? Jamaais.
    ;]

    ResponderExcluir
  2. A flor da pele;
    Onde o sensitivo abraça o poético num sentir das emoções que afloram na pele a cada amanhecer, num registo em escrita..

    ResponderExcluir

Leia e comente se acha que eu vou ficar feliz com isso. =]